POLÍTICA E LINGUAGEM SEGUNDO GIORGIO AGAMBEN
FRANCO PEREIRA LEITE, Prof. Dr. Marcos Alexandre Gomes Nalli
O presente trabalho teve por objetivo analisar a relação entre política e linguagem e quais as consequência resultantes da produção de um ser desprovido de linguagem nas obras do filósofo italiano Giorgio Agamben. Para tanto se fez necessário um percurso pela bipolítica Foucaultiana, visto que este foi o primeiro filósofo a tematizar tal questão e que Agamben recorre a ele, fazendo inversões, deslocamento e reinterpretações para estabelecer seu pensamento biopolítico. Em seu trabalho Agamben nos mostra como desde do mundo grego a linguagem é elemento indispensável para inserir o homem na esfera política e, pelo outro lado, como a falta da linguagem pode destruir os atributos político de um indivíduo ou um grupo de indivíduos, transformando-os em vidas que pela lógica da política atual, ou seja, a biopolítica, podem ser eliminadas sem nenhuma complicação jurídica par quem o faz, pois este que são eliminados da política por não possuírem linguagem estão, concomitantemente, fora do ordenamento jurídico.